segunda-feira, 14 de setembro de 2009

DISTIMIA OU DEPRESSÃO?

A distimia é um estado depressivo crônico que costuma aparecer já na adolescência ou mesmo na infância. O início da distimia pode ocorrer na infância caracterizando-a por uma fase anormal. O próprio paciente descreve-se como uma criança diferente, brigona, mal humorada e sempre rejeitada pelos coleginhas. Nessa fase a incidência se dá igualmente em ambos os sexos. A distimia é sub-dividida em precoce e tardia, precoce quando iniciada antes dos 21 anos de idade e tardia após isso.
Ela age gradualmente e o próprio psquiatra pode ter dificuldade pra diagnosticar, e muitas vezes diagnostica depois do problema instalado. Quando a distimia é identificada pelo paciente, este costuma encará-la como algo normal, que faz parte de sua personalidade e não busca ajuda profissional. Por isso é provavél que a distimia tende a permanecer de forma indefinida nos pacientes quando não tratada.
Uma das diferenças entre a distimia e a depressão, é que esta vem em fases mais ou menos fortes e bem delimitadas. Assim como na depressão, na distimia também há alteração do apetite, do sono e menos freqüentemente da psicomotricidade.
O fato de uma pessoa ter distimia não impede que ela desenvolva depressão: nesses casos denominamos a ocorrência de depressão dupla e quando acontece o paciente procura muitas vezes pela primeira vez o psiquiatra. Como a distimia não é suficiente para impedir o rendimento, apenas prejudicando-o, as pessoas não costumam ir ao médico, mas quando não conseguem fazer mais nada direito, vão ao médico e descobrem que têm distimia também.
Estudos mostram que o sentimento de inadequação e desconforto é muito comum, a generalizada perda de prazer ou interesse também, e o isolamento social manifestado por querer ficar só em casa, sem receber visitas ou atender ao telefone nas fases piores são constantes. Esses pacientes reconhecem sua inconveniência quanto à rejeição social, mas não conseguem controlar. Geralmente os parentes exigem dos pacientes uma mudança positiva, mas isso não é possível para quem está deprimido, não pelas próprias forças. A irritabilidade com tudo e impaciência são sintomas freqüentes e incomodam ao próprio paciente. A capacidade produtiva fica prejudicada bem como a agilidade mental.

Muitos grifos meus e ajuda de: http://www.psicosite.com.br/tra/hum/distimia.htm

5 comentários:

Plutonauta disse...

eu não duvido que tenha tido algum problema desse ou perto desse .....

MINISTÉRIO BATISTA BERÉIA disse...

Graça e paz. Essas doenças são muito difíceis de tratar, pois é muito difícil encontrar um médico que faça o diagnóstico certo na primeira consulta geralmente isso vira uma peregrinação, pois muitas dessas doenças e síndromes são muito parecidas, falo isso por experiência própria, pois eu convivo com uma pessoa que sofre de depressão. Tem dias bons e tem vários dias maus. Não é fácil, mas Deus é maior.
Fique na Paz.
Pr Silas

Anônimo disse...

Gosto muito de ler seu blog!e vejo que vc sempre fala no assunto depressão! gostaria de saber se vc tem depressão e como ela se manifesta em vc e se ela chega a interferir na sua vida com seus familiares! obrigada!!

bulanabula disse...

Tenho alguns problemas sim. Interferem em minha vida como um todo, família, amigos, emprego, faculdade... Mais detalhes, gostaria que vc se identificasse e não assinasse como "anônimo".
Abçs,
Hellen Taynan

BIPOLARBRASIL disse...

Parabéns pelo post. Dias desses eu escrevi também sobre o tema. É interessante.