terça-feira, 25 de outubro de 2016

LIKE A BRIDGE...

Eu dizia que sempre seria a ponte sobre as águas turbulentas para todo aquele que eu fizesse amado em meu coração. Eu fui. Eu sou. Não. Nunca recebi amor na mesma medida que dei. Na verdade parei de cobrar ou mesmo esperar por isso. Em meu ato, por assim dizer egoísta, aceitei que ninguém se doa assim como eu me dou e ninguém é capaz de amar assim. Geralmente veem interesse.
E assim, desconfia-se dos gestos gratuitos, das caronas estendidas a um caminho que não seria o meu, de um chocolate que comprei para apenas porque lembrei da pessoa e sei que ao receber ela vai sorrir. Desconfiam de um "eu te amo", não acreditam quando digo "estou sempre aqui". Mas pensando bem, na verdade existia sempre um interesse. O interesse que o outro fizesse o mesmo. Não comigo, muito embora os pequenos gestos que esboço são realidades que queria para mim, mas não seria para mim ou comigo. Ou pelo menos não apenas. Mas sim com todos. Um gesto simples que seja capaz de aliviar a mente de alguém é muito valioso. Pode salvar um dia, às vezes salva até uma vida. Mas daí eu olhei ao meu redor e no hiato que ocupa minha vida, quase culminando com a declaração de extremo abandono e solidão, eu vejo que tenho pessoas como esse cara e isso me conforta muito e me dá a certeza que sou muito privilegiada.
Moab tem o dom raro que talvez nenhum outro tenha. Ele não vincula o que me dá a nada que eu possa devolvê-lo. Ele não tem pena de mim porque eu não faço parte da mesma igreja que ele e por isso não serei "salva". Ele não me assedia nas redes sociais. Ele não fica me "cantando" no messenger. Ele nunca me pediu nada e ainda assim ele tem tanto. Ele nem sabe como já me tirou sorrisos e lágrimas. Ele nem sabe como sou agradecida simplesmente porque ele me vê exatamente como eu gostaria de ser. E ainda que eu mesma tenha dúvidas que eu possa ser tanto, ele tem certeza que sou.



Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Minha querida amiga,lio seu tema não sei se alguma motafora ou um desabafo ou mesmo a realidade, se é a última saiba que é normal as pessoas agirem assim desconfiadas muitas vezes até os remidos ou os familiares, mas a verdade é que se continuar a amar verdadeiramente com o grande amor de Jesus, sei que vai colher muitos frutos, pelo menos sei de certeza que Jesus terá um grande galardão para si. Viva felis viva a vida que Jesus lhe deu, deia sem esperar receber, ame sem esperar ser amada, é dificil mas é compensador.Que a Paz de Jesus eswteja no seu belo coração.
Ps não a conheço pessoalmente mas gostei do que li, e posso dizir que eu te amo em Cristo Jesus.
António.