domingo, 16 de agosto de 2015

MEU PROTESTO


Quando deixei de sonhar, me tornei realista.
Realidade dura, nua e crua: pessimista.
Sob o olhar realista, não vou às ruas protestar.
Também não recrimino quem vai.
Apenas não acredito, não vislumbro, nem sonho
Que o impeachment seja o melhor para o Brasil.
Antes me envergonho de alguns discursos...
O povo de Pernambuco, pede desculpas por Lula.
Como se fosse o câncer do país.
Como se pede perdão por um crime hediondo.
Lula é apenas um político.
No sentido sujo da palavra.
Político com todos os atributos de um político no Brasil.
Muitos que reclamam,
Não reclamariam outrora fossem eles os beneficiados.
Como Lula reclamou quando não estava no poder,
Como agora se incomoda com os que apontam seus erros.
O erro não é o partido, o erro não está nos políticos.
O erro é do povo que aceita pão e circo.
Que aplaude o futebol e samba no carnaval,
Mas fazem das urnas, privadas.
Ontem Collor, hoje Dilma.
Amanhã, quem?
Discursos inflamados de petistas cegos.
Que se declaram esquerdistas e quem ousa discordar,
É coxinha fascista elite branca de direita.
O PT atira à queima roupa nos valores de família,
Defende a liberdade, justificando os malfeitores.
Eu sempre achei essa esquerda meio torta,
Mas agora deu um nó.
No meu olhar real, que tem um quê de pessimismo,
Entre a direita e a esquerda, fico em cima do muro.
Quero mesmo ser resgatada, antes que ele desabe.
Ou então que com sua queda, finde também minha vida.
É melhor não viver envolta em uma bandeira
Que não seja verde e amarela.
Lutem hoje e sempre,
Mas não para trocar de senhor.
Peçam justiça e ética sendo justos e éticos.
Lutem por liberdade.
E se a pátria não for livre, que se morra pelo Brasil.

Nenhum comentário: