sábado, 5 de abril de 2014

Explicando a "lógica da criação" a Oswaldo Montenegro e a quem mais interessar

Oi.
Como todos já devem saber ou desconfiar, sou uma grande admiradora deste artista ímpar, Oswaldo Montenegro. 
Eu nasci e cresci ouvindo as maravilhosas letras, divagando em profundas reflexões filosóficas que sua poesia me faz refletir.
Eis que hoje, eu ouço uma nova composição dele, "A Lógica da Criação". Gostaria de responder às suas indagações e ficaria satisfeita se ele lesse essa resposta.
A música é esta:


A resposta está aqui, Oswaldo:
O mérito não é todo dos santos. O mérito é todo de DEUS. Você acerta quando diz que o erro e o pecado são seus; não só seus, mas NOSSOS, de todos os humanos de modo geral. Tudo é, de fato, vontade de Deus, mas a nossa vontade está lá atrás na criação do mundo, quando Deus criou o homem perfeito e o colocou num jardim igualmente perfeito e ele desobedeceu sua ordem, querendo igualar-se a Deus e comeu do fruto proibido por pura ganância de querer ocupar o lugar de Deus. Ainda hoje, muitos comem o fruto proibido querendo igualar-se a Deus e perdidos em suas próprias ignorâncias e limitações, perdem a vida tentando descobrir como criar e recriar, mas tudo o que conseguem é um plágio condenado à imperfeição eterna.
Você diz que não sabe o que vem depois do infinito e isso não é privilégio seu, apenas Deus sabe e o ser humano nasce sim sabendo do seu fim terreno que é a morte da carne. A morte é o salário do pecado cometido lá no Éden, mas esse mesmo homem que nasce sabendo do fim de sua existência terrena, pode encontrar-se com Deus, reconhecendo sua condição de ser miserável e pecador e assim, sua existência não finda com sua carne, antes se perpetua em uma vida plena onde não haverá mais dor. Para nos garantir a vida eterna após essa existência, o próprio Deus veio entre nós na pessoa de Jesus Cristo e foi morto em sacrifício para a redenção dos pecadores. O sacrifício na cruz foi perfeito e por isso hoje somos livres.
De fato, não entendemos os propósitos de Deus, como no caso do filho que morre antes do pai, mas uma coisa podemos entender: para tudo há um propósito. Nossa lógica é finita e seu fim é breve, nós esbarramos na racionalidade e o que foge a isso nos parece estranho e inexplicável, mas quando pensamos na soberania de Deus, as adversidades da vida tornam-se passíveis de serem explicadas.
O sexo não é proibido.
O prazer não é pecado.
O erro está na banalidade do sexo e na efemeridade dos relacionamentos que cedem ao menor desejo e tornam algo puro em trivial. O contato sexual requer uma intimidade profunda que com certeza não é atingida com uma troca de olhares num barzinho sexta à noite. O prazer está contido no sexo. O sexo está contido no amor. O amor está contido em Deus. 
Por fim, você encerra dizendo que ama a Deus, mas se eu puder sugerir algo a você, sugiro que procure conhecer mais o Deus a quem você ama, pois o amor necessita de relacionamento e o relacionamento envolve o conhecimento e a aceitação até mesmo daquilo que a gente não pode entender.
Com amor,
Hellen Taynan


8 comentários:

Mário disse...

Quando a gente vê alguém como O Oswaldo Montenegro, indagando a respeito da criação, é porque Jesus Cristo está ás portas.
Dúvidas, perguntas são feitas na expectativa de uma resposta.
Você foi muito feliz Hellen na sua postagem, será que ele ou a sua equipe terão acesso?

Ivete Sousa disse...

Adorei sua postagem.
Um professor levou essa música para discutir na sala em uma aula de Filosofia. E a sua conclusão foi que Oswaldo Montenegro não vem a fazer uma crítica a Lógica da Criação. E sim falar o quanto o mal quer vencer o bem (ser mais poderoso que Deus). Ele interpreta a MAL( demônio ) que coloca as dúvidas na cabeça do homem faz com que o homem se revolte com Deus através de suas dúvidas. Mas que no final ao dizer " Meu Deus como eu amo vc" mostra o quanto o Mal além de vencer o BEM ( Deus), queria ser igual a ele pq tem admiração por ele ou seja AMOR.

Ivete Sousa disse...

Adorei sua postagem.
Um professor levou essa música para discutir na sala em uma aula de Filosofia. E a sua conclusão foi que Oswaldo Montenegro não vem a fazer uma crítica a Lógica da Criação. E sim falar o quanto o mal quer vencer o bem (ser mais poderoso que Deus). Ele interpreta a MAL( demônio ) que coloca as dúvidas na cabeça do homem faz com que o homem se revolte com Deus através de suas dúvidas. Mas que no final ao dizer " Meu Deus como eu amo vc" mostra o quanto o Mal além de vencer o BEM ( Deus), queria ser igual a ele pq tem admiração por ele ou seja AMOR.

Radio America disse...

Sou um ggrande admirador do Oswaldo Montenegro e na minha humilde opinião o que ele quis dizer na letra dessa musica é uma critica às igrejas (todas) onde as pessoas sao manipuladas por padres ou pastores que so pensam em si mesmo.

may disse...

A música faz questionamentos que todos, em algum momento da vida, já fizeram. Pq que deus permite um filho morrer antes dos pais? Eu não sei a resposta pra essa pergunta. Pq que Deus me criou tão imperfeita, sabendo que eu ia criar confusão, se dele vem a perfeição? Pq Deus pemite a escuridão se ele é luz? Também não sei as respostas e nem me atreveria a responder. Mas como Oswaldo diz na canção, "não me resta mais nada a fazer, apenas dizer que não entendo. Meu Deus como eu amo você."
Acredito que a reflexão que o Oswaldo fez na música é perfeita. Temos mil motivos pra nos revoltarmos com Deus. Mas só a fé nos salva.

Unknown disse...

Parei de ler quando fala que Deus criou um homem perfeito, mas que desobedeceu. Isso não tem lógica nenhuma na perfeição não se permite o imperfeito e desobediência como erro. Seria algo contra a perfeição, então o que é perfeito não pode ser imperfeito! Segundo essa lógica o homem perfeito criado por Deus foi imperfeito no início e desenvolveu uma obra imperfeita, e como o criador criou uma criatura imperfeita, também não pode ser perfeito.

Hellen Taynan disse...

Talvez o autor do último comentário não venha ler essa resposta, mas gostaria de dizer que essa análise que fiz foi em um momento de minha vida que já foi superado. Não obstante a isso, o autor coloca um ponto que talvez seja o hiato da lógica: se Deus pode fazer tudo, ele pode fazer algo que não pode controlar? Se ele pode tudo, pode fazer esse algo, mas e se não puder controlar, ele pode de fato fazer tudo?
Um abraço.

Eridam Júnior disse...

Sugiro uma leitura sobre este tema de um dos maiores pensadores do século passado. Porfessor de Literatura antiga e medievas na Universidade de Oxford, Cambridge e Magdalene College. C S Lewis. Dono de uma mente brilhante, abordou como ninguém essa temática no livro "Mere Christianity". Quanto ao Oswaldo, um outro gênio da nossa MPB, seus questionamentos são perfeitamente normais e de forma alguma se constitui em um ataque à Fé e muito menos a Deus. É o tipo de questionamento sério que Deus aprova, sem desdém. parabéns, grande Oswaldo, pois que busca, acha.