quarta-feira, 5 de março de 2014

Queda de cabelo - Introdução

Seja bem-vindo, março! Seja bem-vindo você que está sempre por aqui e você que caiu de pára-quedas e vai montar abrigo e se tornar visitante assíduo a partir de hoje!
Neste mês, teremos 4 matérias bem interessantes sobre um assunto que afeta homens e mulheres, ricos e pobres, jovens e adultos. O assunto é: queda de cabelo.

Queda de Cabelo alopecia

Queda de Cabelo alopecia

Qualquer alteração que envolva o cabelo ou a pele tem uma repercussão negativa na autoestima de muita gente. Acredito que nem os menos vaidosos ficam felizes ao ver seus fios indo embora no ralo do chuveiro ou ficando no travesseiro quando acordam. As consequências emocionais podem atingir sérias proporções.
O assunto não é novidade! Ao pesquisar sobre o tema, descobri que existem papiros egípcios de mais de 4 mil anos que já discutiam a anatomia do couro cabeludo e fórmulas para combater a queda capilar.
Antes de tratar das causas para a queda de cabelo (e são muitas!), gostaria de compartilhar com vocês algumas informações importantes:

1 – Nem toda queda é patológica!
É muito importante dizer isso porque o cabelo de todo mundo cai em algum momento da vida. Isso acontece porque o cabelo tem um ciclo de vida. O fio de cabelo se origina na derme, que é a camada intermediária da pele. Ele têm um ciclo biológico que corresponde ao crescimento, ao repouso e a queda (fase telógena). É um processo natural, sendo que ele permanece na fase de crescimento de 2 a 8 anos após isso, a matriz que produziu o fio, pára de produzir e ele é expulso da derme e cai. É normal perder até 120 fios de cabelo por dia e se seu cabelo for longo, isso vai fazer volume.

2 – Nem toda calvície é genética!
Você pode ter pais cabeludos e ser calvo e pode ter pais calvos e nunca desenvolver a calvície. Hoje em dia, com os avanços da medicina, receber um diagnóstico que põe a culpa de tudo na genética ficou ultrapassado! Os profissionais têm buscado especializações e conhecem diversas causas que podem justificar a alopecia além da genética.

3 – Moças, cuidado no uso e abuso de química no cabelo!!!
Existe a queda de cabelo da raiz e existe a queda por quebra do fio. Essa quebra está associada ao excesso de produtos utilizados indiscriminadamente. O cabelo é composto por carbono, hidrogênio, oxigênio, nitrogênio, enxofre e ainda ferro, cobre, zinco, iodo, aminoácidos, proteína, lipídios e água. Quando se exagera na dose, principalmente de descoloração, o cabelo vai perdendo esses componentes, enfraquece e quebra. Ou simplesmente “afina”, perdendo volume no cumprimento. Mas isso também tem remédio, calma lá!

Acontecimentos…
Certa vez, após ter visitado quase 10 dermatologistas diferentes, fui a um que todos falavam que era o melhor do estado! O preço da consulta dele era o maior do estado também. Mesmo assim, diante do desespero de ver tanto cabelo indo a baixo, eu paguei a consulta e fui lá, munida de todos os exames possíveis (nenhuma alteração). Ao chegar lá tudo o que ele fez foi levantar, pedir licença e arrancou alguns fios de minha cabeça para um “tricograma”. Quase 1 mês depois eu voltei lá e ele me olhou com um diagnóstico: eflúvio telógeno. Disse que era complicado, mas que tinha tratamento e tudo se resolveria.
Eu pensei “oh, toda minha vida foi solucionada! Esse médico é muito bom!”. Saí de lá com um diagnóstico de nome difícil e com uma prescrição de mais de 500,00 em tratamento que incluía injeção, comprimidos, loção e shampoo.
De lá pra cá e outra vez cá com os meus botões, pesquisei, estudei e li bastante sobre o assunto e descobri que “Eflúvio Telógeno” não era necessariamente a invenção da roda, mas um processo que responde a diferentes tipos de estresse, nada mais na menos que:

• Febre
• Parto
• cirurgias
• dietas
• estresse emocional, até os mais simples
• Interrupção repentina do uso da pílula anticoncepcional
• Medicamentos diversos
• Alterações hormonais
• Doença venérea
• Doenças Metabólicas
• Doenças Infecciosas
• Doenças Inflamatórias
• Doenças hereditárias
• Câncer

Deu pra perceber que praticamente TUDO e QUALQUER COISA poderia ter desencadeado esse problema e se considerarmos que eu me submeti a uma redução de peso em torno de 35kg, muita coisa seria explicada.
Além disso, o eflúvio telógeno tende a desaparecer naturalmente em poucos meses. O que não era o meu caso, já que fazia anos que eu estava com o problema.
Por quase 1 ano eu fiz tratamento alopático para tratar a queda de cabelo e não obtive respostas significativas. Há 2 meses, interrompi o tratamento e aderi a tratamentos cosméticos e naturais e também não deu muito certo.

No decorrer das semanas, vou falar sobre os diversos produtos que usei e os efeitos prometidos e cumpridos. Conte sua experiência nos comentários e vamos debater este assunto que poderia nos deixar de cabelo em pé, mas nos deixa mesmo é com os cabelos aos pés, para o desespero de muitos.

Nenhum comentário: