sábado, 10 de agosto de 2013

E agora, José?



A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
...
José - Carlos Drummond de Andrade



Oi.
Decidi iniciar esse post com esse poema específico porque a partir destas indagações que o poeta sugere na sua obra, dá pra gente pensar um bocado.
Não faz 1 semana em que estivemos todos reunidos num trabalho proposto pela igreja para levar as pessoas a conhecerem a Deus. Mais do que isso, levar as pessoas a conhecer a si mesmas e atestar que sozinhos não somos nada e que, somente pela misericórdia, recebemos de Deus Sua graça.
Mas eu quero te levar a refletir no que diz respeito a decisão de seguir a Cristo. Longe de mim pregar um evangelho distorcido onde as pessoas vão sedentas de coisas materiais e aí o pregador diz que "libera" a vitória em nome de Jesus! Antes, falasse ele a respeito de que a vitória é dada mediante o seu próprio nome e não no nome santo de Jesus. E porque isso?
O acampamento que realizamos com os jovens nada mais é do que um meio no qual se objetiva um fim muito maior do que rostos emocionados, chorando e dizendo que a partir dali será uma pessoa melhor. É necessário falar da imensa graça de Deus. É indispensável falar do quanto Deus ama a cada um daqueles que lá estiveram, porém, contudo, todavia e no entanto Deus não trabalha por recompensas. Ele não nos deve nada e tampouco Ele proclama que quem o seguir gozará de vitória e felicidade pra sempre (pelo menos nessa vida). Nossas obras materiais, não pagam o sacrifício de Deus. Nós somos eternos devedores. O pecado habita em nós e a única saída está em nos confessarmos perante a Deus, reconhecendo nossa condição miserável e se arrependendo dos pecados.
Não existe conversão sem arrependimento. E não existe arrependimento se não entendermos que o sacrifício de Cristo foi por você e por mim e hoje somos livres. Lembrem-se: DEUS NOS AMOU PRIMEIRO.

E agora, José?
E agora, você?...

Eu sonho com o dia em que a evangelização terá a mesma importância do discipulado para os "novos convertidos".
Amanhã, dia 11/08, teremos nossa primeira EBD (Escola Bíblica Dominical) pós-acampamento e eu gostaria que o número dos que se decidiram por Cristo no acampamento ou através dele, fosse o mesmo número dos que estarão presentes.
Você colocou alguém no acampamento? Você é solidariamente responsável na tarefa de incluir esse convidado nas atividades da Igreja.
Você participou do acampamento? Você estava envolvido em um ambiente prejudicial? Você conheceu a Palavra de Deus? Você decidiu viver essa Palavra? Então eu tenho duas notícias para você:
A primeira é que em Miquéias, capítulo 7, versos 18 e 19 nos diz: 
Quem é Deus semelhante a ti, que perdoa a iniquidade, e que passa por cima da rebelião do restante da sua herança? Ele não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na sua benignidade.
Tornará a apiedar-se de nós; sujeitará as nossas iniqüidades, e tu lançarás todos os seus pecados nas profundezas do mar.
Miquéias 7. 18,19.

E a segunda notícia é que após ouvir o evangelho, você se torna indesculpável perante Deus, tendo em vista que agora você pode discernir aquilo que agrada o Senhor. Veja o que diz Atos 17.30: 
 Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam... 
 Eu poderia passar horas aqui digitando o quão importante é que tenhamos em primeiro lugar em nossa vida, a sabedoria que vem do alto! Tudo aqui é efêmero, mas os tesouros que Deus guarda para nós no céu são eternos!

Pense nisso,
Hellen Taynan

Um comentário:

Ana Chagas disse...

Muito bom o texto. É exatamente o que penso, não apenas acerca do Evento evangelístico para Jovens, mas de todos eles. Lançamos a semente? Não retiremos a mão. Discipulemos aqueles a quem convidamos. O importante é assegurarmo-nos de que transmitimos com clareza a mensagem de Cristo, quem sabe agora, muito mais, por meio de estudos bíblicos orientados pela liderança da igreja (DERP).

Tomamos uma decisão de seguir a Cristo? Que isto não se resuma ao passado, a um dia de forte emoção. Vivamos agora em novidade de vida, vivendo a vida abundante, o presente pelo Senhor para aqueles que nascem de novo.

E agora, José? E agora, nós?

Um abraço, Hellen.