segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Meu mundo pós aniversário


Oi.
Chegou o dia. Hoje faço aniversário. Faço 28 anos. Mas como pode? Ontem eu tinha 18 e quando acordo estou com quase 30!!! Roda mundo, roda gigante... o mundo passou num instante nas voltas do meu coração.
E o que eu fiz da vida? O que a vida fez de minha vida? Palco, dança, circo, teatro... tudo parece que se perdeu no tempo, mas e os sonhos? De que se alimentam os sonhos? Estaria muito tarde para sonhar? Na verdade, acho que essa seria a época de realizar e não mais sonhar... Ainda dá tempo de sonhar? E o tempo de realizar, terei?
Hoje meu dia não foi nada além de normal. Mas foi muito especial. Estive com minha família. Meus pais, meu esposo, meu sobrinho/irmão e Ralf. Faltou minha irmã... Seria importante se ela estivesse... Mas, nem tudo o que seria faz-se ser. E eu queria ser tanta coisa...
Minha alma está alegre e eu comi algodão doce! Um branco e imenso algodão doce! De presente, ganhei livros e um vestido. A alma busca ainda aquela boneca com cheirinho de brinquedo novo, mas o corpo não acompanha mais essa inocência. E quem disse que minha cabeça acompanha meu corpo? Em muitas horas eu queria brincar na chuva, ir pra praia, chutar as ondas do mar, correr, gritar... E voltar ao tempo em que minhas preocupações eram se o cabelo da Barbie vai estragar porque estou brincando que ela está na piscina, sendo que a piscina é no tanque de casa ou ainda se minha mãe iria brigar ao ler um versinho que eu fiz pro meu namorado que, de tão irreal se ele soubesse do namoro, acabava-se. ^^ 
Hoje as responsabilidades são outras. Cresceram absurdamente e tem horas em que eu acho que não vou dar conta. E o pior de tudo é que estas preocupações tendem a crescer e eu me sinto tão pequena quando me deparo com a vida.
Hoje eu sei quem amo. De um modo muito cruel, aprendi a dedicar tempo e amor a quem me dedica o mesmo. Amo meu marido. Amo meus pais. Amo minha irmã. Amo meu sobrinho. Amo meu cachorro. No fim, são eles que estão sempre presentes, que não esquecem meu aniversário, que cuidam de mim, ficam alegres com minha felicidade e tristes pela minha tristeza. E hoje eu sou só amor.
Eu amo. Verbo intransitivo.
Amo.

Nenhum comentário: