sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

BORIS CASOY: ISTO É UMA VERGONHA!

Quanto vale um pedido de desculpas por um ato proposital? Boris Casoy, jornalista âncora do "Jornal da Band" deve saber responder a essa pergunta. O que ele ignora é a consequência de suas palavras de péssimo gosto dirigidas a uma classe de trabalhadores honesta e tão digna de respeito quanto qualquer outra.

Durante a exibição do telejornal do último dia 31, após as felicitações de Ano Novo de uma dupla de garis, o jornalista não percebeu que o microfone estava aberto e falou o que pensava: "Que merda... dois lixeiros desejando felicidades do alto de suas vassouras... dois lixeiros... o mais baixo da escala do trabalho", disse Boris Casoy.

Veja o vídeo aqui

As desculpas vieram na edição do telejornal deste dia 1º. Leia abaixo na íntegra as palavras de Casoy:

"Ontem, durante o intervalo do 'Jornal da Band', em um vazamento de áudio, eu disse uma frase infeliz, que ofendeu os garis. Por isso, quero pedir profundas desculpas aos garis e aos telespectadores do 'Jornal da Band'."

6 comentários:

Os Doutores da Lei disse...

Sobre o pedido de desculpas:

Ele começa citando o 'vazamento de áudio', ou seja, se este não ocorresse, não haveria pedido de desculpas e as 'risadinhas' continuariam na sala de gravação...

Geninho.. disse...

http://cotidianodesvaneio.blogspot.com isso é o cotidiano é que vazo ele é o boris e quantos outros boris pensaram a mesma coisa.Ou aquele que dá um panetone pra empregada ACHA que tá fazendo alguma coisa..

Rosa Araújo disse...

Affe, ese pessoal pensa que são importantes só pq aparecem na televisão e tem um salário bom.. Mas fazer o que, não temos como mudar o pensamento das pessoas
Bjus

Pobre esponja disse...

Nossa, esse cara perdeu a credibilidade com a minha pessoa daqui por diante - que não deve ser um longo caminho, e creio que ele irá para o mesmo lugar que os lixeiros e muitos de nós humanos: o pó.

abç
Pobre Esponja

Anônimo disse...

De verdade, achei infeliz o comentário de boris, mas acho que o que ele disse tem total pertinencia com a realidade e tb mostra que a diferença não está no status apenas, mas no valor de cada ser., se olharmos que enquando nós, inclusive Boris, em poltronas fofas reclamamos da vida que temos, garis com o pouco são felizes e desejam o melhor ao próximo! uma lição, não?!

Wagner Lopes disse...

Isso foi lamentável, e infelizmente muita gente pensa igual a ele.