sábado, 19 de setembro de 2009

MULHERES QUE AMAM DEMAIS ANÔNIMAS - MADA

Baseado no livro "Mulheres que Amam Demais", de 1985, da autora Robin Norwood, psicóloga e terapeuta familiar, que escreveu o livro baseado na sua própria experiência e na experiência de centenas de mulheres envolvidas com dependentes químicos. Criou então e disseminou uma organização de apoio que consiste em um programa de recuperação para mulheres que têm como objetivo primordial se recuperar da dependência de relacionamentos destrutivos, aprendendo a se relacionar de forma saudável consigo mesma e com os outros.

No Brasil o primeiro Grupo MADA foi aberto em São Paulo, hoje existe em 13 estados e o Distrito Federal. Com mais de 40 reuniões por semana no Brasil e, 01 reunião em Portugal, em Carcavelos, e 03 reuniões na Venezuela, em Caracas. Em Pernambuco, as reuniões da MADA ocorrem aos domingos das 15h30m às 17h30m e às quinta-feiras das 19h às 21h na Rua Marquês de Valença, 350 - Boa Viagem - Recife e na Paróquia de Nossa Senhora de Fátima. O grupo existe desde marco de 1997.

Os membros da MADA são mulheres que são dependentes de relacionamentos doentios. A ajuda se dá quando uma mulher se identifica com um dos depoimentos de outras mulheres e a partir daí é oferecida ajuda pessoal e psicológica. Não há a obrigação de se dizer alguma coisa, embora acredite-se que é na troca de experiência que agiliza-se o processo de cura. Recomenda-se respeitar o anonimato de cada participante. Não é irmandade religiosa posto que, respeita-se a fé individual das participantes.

Todas as mulheres dirigem a organização. Porém, para manter a ordem e conseguir um funcionamento uniforme, elege-se as coordenadoras do grupo que irão exercer suas funções. Todas trabalham como voluntárias para manter o local em ordem. Não há mensalidades ou honorários a serem pagos para unir-se a este grupo. O sustento provém das próprias contribuições, que são feitas de forma voluntária. Usa-se o dinheiro arrecadado para pagar o aluguel da sala, comprar livros referentes ao tema e para manter os próprios módulos de literatura.

CARACTERÍSTICAS DE UMA MULHER QUE AMA DEMAIS

Robin Norwood, 2005 p.23 e 24.

1. Vem de um lar desajustado, em que suas necessidades emocionais não foram satisfeitas.

2. Como não recebeu um mínimo de atenção, tenta suprir essa necessidade insatisfeita através de outra pessoa, tornando-se superatenciosa, principalmente com homens aparentemente carentes.

3. Como não pode transformar seus pais nas pessoas atenciosas, amáveis e afetuosas de que precisava, reage fortemente ao tipo de homem familiar, porém inacessível, o qual tenta, transformar através de seu amor.

4. Com medo de ser abandonada, faz qualquer coisa para impedir o fim do relacionamento.

5. Quase nada é problema, toma muito tempo ou mesmo custa demais, se for para "ajudar" o homem com quem esta envolvida.

6. Habituada à falta de amor em relacionamentos pessoais, está disposta a ter paciência, esperança, tentando agradar cada vez mais.

7. Está disposta a arcar com mais de 50% da responsabilidade, da culpa e das falhas em qualquer relacionamento.

8. Sua auto-estima está criticamente baixa, e no fundo não acredita que mereça ser feliz. Ao contrário, acredita que deve conquistar o direito de desfrutar a vida.

9. Como experimentou pouca segurança na infância, tem uma necessidade desesperadora de controlar seus homens e seus relacionamentos. Mascara seus esforços para controlar pessoas e situações, mostrando-se "prestativa".

10. Esta muito mais em contato com o sonho de como o relacionamento poderia ser, do que com a realidade da situação.

11. Você é uma pessoa dependente de homens e de sofrimento espiritual.

12. Tem tendência psicológica, e com freqüência, bioquímica a se tornar dependente de drogas, álcool e/ou certos tipos de alimento, principalmente doces.

13. Ao ser atraída por pessoas com problemas que precisam de solução, ou ao se envolver em situações caóticas, incertas e dolorosas emocionalmente, evita concentrar a responsabilidade em si própria.

14. Tende a ter momentos de depressão, e tenta previní-los através da agitação criada por um relacionamento instável.

15. Não tem atração por homens gentis, estáveis, seguros e que estão interessados nela. Acha que esses homens "agradáveis" são enfadonhos.

CARACTERÍSTICAS DE UMA MULHER QUE SE RECUPEROU DE AMAR DEMAIS

Robin Norwood, 2005, p.289 e 290.

1 - Ela se aceita completamente, mesmo quando quer modificar partes de si. Existe uma autoconsideração e um amor por ela mesma que são básicos, e que devem ser alimentados.
2 - Ela aceita os outros como são, sem tentar modificá-los para satisfazer suas necessidades.
3 - Ela esta ciente de seus sentimentos e atitudes com relação a cada aspecto de sua vida, inclusive sua sexualidade.
4 - Ela cuida de cada aspecto dela mesma: sua personalidade, sua aparência, suas crenças e valores, seu corpo, seus interesses e realizações. Ela se legitima, em vez de procurar um relacionamento que dê a ela um senso de autovalor.
5 - Sua auto-estima é grande o suficiente para que possa aproveitar a companhia de outras pessoas, principalmente de homens, que são bons exatamente como são. Não precisa ser necessária para se sentir digna de valor.
6 - Ela se permite ser aberta e confiante com pessoas adequadas. Não tem medo de ser conhecida num nível profundamente pessoal, mas também não se abre à exploração daqueles que não estão interessados em seu bem-estar.
7 - Ela pergunta: "Esse relacionamento é bom para mim? Ele me dá oportunidade de me transformar em tudo o que sou capaz de ser?"
8 - Quando um relacionamento é destrutivo, ela é capaz de abandoná-lo sem experimentar uma depressão mutiladora. Possui um círculo de amigos que a apoiam e tem interesses saudáveis, que a ajudam a superar crises.
9 - Ela valoriza a própria serenidade acima de tudo. Todos os conflitos, o drama e o caos do passado perderam sua atração. É protetora de si mesma, de sua saúde e de seu bem-estar.
10 - Ela sabe que um relacionamento, para dar certo, deve acontecer entre dois parceiros que compartilhem valores, interesses e objetivos semelhantes, e que possuam ambos capacidade para serem íntimos. Também sabe que é digna do melhor que a vida tem a oferecer.


FONTE:

NORWOOD, Robin. Mulheres que Amam Demais. Ed. 31. São Paulo: Arx, 2005.

INFORMAÇÕES SOBRE O GRUPO MADA - MULHERES QUE AMAM DEMAIS ANÔNIMAShttp://www.grupomada.com.br/pagina.php?x=apresentacao&tit=apresentacao Acessado em 15/08/2009.


Nenhum comentário: